Todos os textos contidos neste blog são de propriedade intelectual da autora. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

"O Pecado Mora ao Lado" e mais...

HÁ ALGUM TEMPO VI O FILME MAS AGORA, REVENDO NÃO RESISTI EM ESCREVER. NESSE MOMENTO ME CHAMOU ATENÇÃO O PERSONAGEM DE MARILYN. ELE NÃO TINHA NOME. ELA É APENAS "A GAROTA" E A RELAÇÃO DELA COM O PERSONAGEM DE TOM EWELL É CLARA: ELES NÃO TERÃO UM CASO. ELE MORRE DE MEDO DE TRAIR A ESPOSA, VIVIDA PELA LENDÁRIA EVELYN KEYS, DE "E O VENTO LEVOU". PRA QUEM NÃO SE LEMBRA, KEYS ERA A IRMÃ SOLTEIRONA DE SCARLETT O'HARA. BOM, VOLTANDO AO ASSUNTO, "A GAROTA" ME DEIXOU MUITO CURIOSA. DE REPENTE ELA SURGE NO PRÉDIO EM MANHATTAN COMO A NOVA VIZINHA, CARREGANDO ALGUMAS BUGIGANGAS, NUM VESTIDO BEM JUSTINHO, BRANCO COM BOLINHAS, ASSENTUANDO AINDA MAIS SUAS CURVAS. ELE FICA DOIDO COM ELA, MAS A VERDADE É QUE A GAROTA NÃO TEM MALDADE NENHUMA. ESSA ERA A MARCA DE MARILYN MONROE: A MISTURA DE SENSUALIDADE E INOCÊNCIA, QUE NINGUÉM MAIS NA HISTÓRIA DO CINEMA CONSEGUIU REPRODUZIR. "A GAROTA" NÃO QUERIA UM AMANTE. SÓ QUERIA COMPANHIA, POIS ERA SOZINHA. AO LONGO DO FILME NÃO SABEMOS NADA DELA. ELA NÃO TINHA NAMORADOS FORA DE CASA E NÃO LEVAVA HOMENS PARA DENTRO DO PRÉDIO. ERA APENAS UMA MENININHA SÓ, QUE ACHA NO VIZINHO MALICIOSO UMA COMPANHIA PARA UM DRINK DESCOMPROMISSADO E ALGUMAS HORAS DE DIVERTIMENTO INFANTIL. USAR SEU AR CONDICIONADO PARA SE REFRESCAR, POR EXEMPLO! NA CENA QUE MAIS MOSTRA QUE "A GAROTA" SÓ PROCURAVA UM AMIGO, ELA CHEGA COM CHAMPANHE E BATATINHAS FRITAS, E O MESMO TIPO DE FIGURINO DE MULHER FATAL - O VESTIDINHO BRANCO, DE ALÇAS TRANSPASSADAS. ELA PEDE PARA ELE ABOTOAR E SE SENTA AO PIANO. À PARTIR DO MOMENTO EM QUE OS DOIS COMEÇAM A BRINCAR COM AS TECLAS ESTAMOS VENDO UMA DAS CENAS MAIS ALEGRES DE MARILYN EM FILMES. ALI ELA TOCAVA E CANTAVA COMO UMA GAROTINHA, ENQUANTO MR.SHERMAN TENTAVA COLOCAR SEU PLANO EM AÇÃO, AO SOM DE RACHMANINOFF NA VITROLA, PARA DEPOIS "ABRAÇÁ-LA E BEIJÁ-LA PRA VALER". APESAR DO MEDO DE TRAIR A MULHER, ELE A AGARRA NO PIANO E OS DOIS CAEM NO CHÃO, COMO DOIS JOVENS CONFUSOS. ELA TONTA E INOCENTE EM SEU SEXY VESTIDINHO, NÃO VÊ NENHUM MAL EM CONTINUAREM A CONVERSA, PORQUE PARA "A GAROTA" NÃO HOUVE NADA, ABSOLUTAMENTE NADA. E NEM PODERIA HAVER, AFINAL DE CONTAS, "THE GIRL" ERA APENAS UMA MENINA VESTIDA DE MULHER. 
A polêmica filmagem no centro de Nova York trouxe problemas pessoais sérios para Marilyn. Na época casada com o jogador de Baiseball Joe DiMaggio, o mesmo soube que a esposa estava num respiradouro de metrô e sua saia subia até a cintura. Furioso, ele partiu como um foguete para o local de filmagem, olhou tudo, segundo testemunhas, com expressão facial que se tornava cada vez mais enlouquecido. Com muita raiva, ele simplesmente não acreditava no que via: sua mulher, com dezenas de fotógrafos registrando sua calcinha aos olhares de homens ávidos e excitados, apaixonados por ela. Quando o casal se reuniu em casa, a discussão foi feia demais, incluindo agressão física por Dimaggio. Marilyn chegou para filmar no dia seguinte, cheia de hematomas, que tiveram de ser cobertos com maquiagem. Os dois já não tinham mais dúvidas: o casamento se acabara.

Voltando um pouco mais: o começo de Marilyn

PRA MIM MARILYN SEMPRE FOI NORMA JEAN. DEPOIS DE TANTOS LIVROS E TEXTOS EM GERAL FALANDO SOBRE SUA MORTE, ME LEMBREI DO LIVRO MARAVILHOSO MARILYN:ANDRE DE DIENES, QUE MOSTRA O COMEÇO DA CARREIRA, EM 1945, QUANDO A JOVEM NORMA JEAN ACEITOU VIAJAR COM O FOTÓGRAFO. ISSO RESULTOU EM SUAS PRIMEIRAS FOTOS: ESTA  ACIMA FOI TIRADA POR VOLTA DE 1949, NÃO SEI BEM, E JÁ MOSTRA UMA OUTRA MULHER, COM O ROSTO RENOVADO DEPOIS DE UMA CIRURGIA PLÁSTICA QUE SEU NAMORADO JOHNNY HIDE HAVIA LHE DADO DE PRESENTE NAQUELA ÉPOCA. MAS O GOSTOSO MESMO DESTE LIVRO É PODER COMTEMPLAR UMA MENINA, UMA ADOLESCENTE AINDA COM OS CABELOS CASTANHOS, O ROSTO REDONDO, E O FÍSICO AINDA EM FORMAÇÃO. ESTA É A MARILYN QUE SEMPRE EXISTIU, E QUE NÃO TINHA CONTROLE SOBRE SUA PRÓPRIA VIDA, SE DEIXANDO INFLUENCIAR POR PESSOAS INEXCRUPULOSAS, QUE A LEVARAM À MORTE. UM DELEITE PARA OS FÃS, AS FOTOS de DE DIENES MOSTRAM COMO A "GRANDE ESTRELA" REALMENTE ERA. TENTANDO NÃO SER MARILYN MONROE.

 Na foto acima, temos um momento que marcou o início do trabalho de Marilyn com o fotógrafo Andre de Dienes: meados dos anos 40, ainda com os cabelos ruivos naturais e sem as cirurgias no rosto(nariz e queixo). A editora deste blog tem que confessar - é tão bom ver Marilyn assim, menina, calça jeans dobrada e um olhar tão diferente do que estaria por vir e transformá-la na Marilyn que conhecemos hoje...

11 comentários:

As Tertulías disse...

Ao contrário da maioria dos cinéfilos NUNCA fui fa de MM... nem nas comediazinhas nem nas suas tentativas como atriz (Misfits)... Nao consigo VER o que os utros vem nela... Acho que o problema deve estar em mim, pois toda a populacao do planeta a ama... Eu nao... Estou consciente disso :-)) Gosto porém de uma cena sua em Bus Stop... Mas ´so assisti o filme uma vez...
Beijos, querida!
Ricardo

Daniele Moura disse...

Ricardo, a maioria dos cinéfilos contemplam a lenda que ela se tornou e sua bela imagem. Poucos, infelizmente são os que reconhecem seu talento. Minha opinião já é outra: as comédias com o pior roteiro, que forçosamente fez só se tornaram algo de bom por causa dela e os coadjuvantes. Enfim, é um assunto polêmico. Marilyn era ou não uma atriz? Pra mim, era. Ela não teve tentativas e sim, deu vida a personagens pois tinha o talento: o studio system a transformou num estereótipo da loira boba e ingênua. Coisa que ela não era, nem de longe. Os projetos sérios que tinha não se concretizaram, pois a Fox nem a tinha como uma artista. Tanto é que MM tinha o menor salário lá.
Mas, claro, cada um tem sua opinião.
Um abraço
Dani

disse...

Também gosto muito de ver a estrela ainda menina e, em minha opinião, mesmo sem plástica era bonita. Curioso, não tinha me ligado que a esposa de Ewell era a irmã de Scarlett O'Hara.
Beijos!

Rubi disse...

Um dos meus filmes preferidos da Marilyn Monroe. Ela tinha bons filmes, tinha uma boa aparência e tinha talento. Me lembro uma vez que enquanto lia uma biografia dela havia uma frase sobre o filme Os Homens Preferem as Loiras, que mostrava a indignação de Marilyn em relação ao diretor. Mesmo ela sendo a principal no filme, ela deixa claro que as coidições eram precárias e a preferência era somente para com a Jane Russell.

Uma pena, ela ter morrido tão cedo pois Marilyn ainda tinha uma carreira brilhante pela frente.
Excelente post, Dani!

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Dani, Parabéns Pelo ótimo Post.
Adoro MM e Todos os Seus Filmes.
Uma Vida triste e marcada por decepções nos mostra que a fama nem sempre traz felicidades. O Pecado Mora ao Lado é eterno, perfeito, ingenuo e nostálgico, tudo quanto é qualidade eu emprego a esse filme.
Adorei seu texto, Parabéns pelo Post mais uma vez.
te espero em meu blog, a tempos não vejo seus comentários por la, abração!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Amo essa comédia, uma das melhores do mestre Wilder. Só a abertura já impressiona.

O Falcão Maltês

Faroeste disse...

Acho perfeiro quando falas, Le, que a MM era uma mistura de sensualidade e inocencia. Perfeito.

E ela era também uma atriz com um talento especial.

Vendo-a em comédias, que apenas queriam exibi-la e arrecadar dinheiro, pouco se via de suas qualidades. Olha como o Wilder arrancou dela um desempenho fora de seus padrões em Quanto Mais Quente Melhor e O Pecado Mora ao Lado. Em ambos ela está ótima como atriz e ninguém vai poder me tirar esta verdade.

Pouco importa suas falhas, seus atrasos nas filmagens, suas faltas nos sets, sua dificuldade em memorizar suas falas. Ela tinha sim beleza, sensualidade e um talento especial.

Quem pode falar mal dela em Os Desejustados e em O Rio das Almas Perdidas? Ninguém. Ninguém porque ela esteve perfeita em ambas as peliculas.

Se Mitchum (isso mesmo, Mitchum a dirigiu em O Rio das Almas Perdidas egundo o expert em cinema Darci Fonseca) e o Houston em Os Desajustados tiveram trabalho extra com ela nestes filmes, eles foram vitoriosos. Isto porque ela está magnifica nestas duas peliculas. Não temos como negar tal fato.
jurandir_lima@bol.com.br

E quando ela fazia trabalhos

Faroeste disse...

Dani,

Quero pedir desculpas por chama-la de Le no meu comentário sobre a belissima e boa atriz Marilyn Monroe.

O fato ocorreu em função de meu anterior comentário sobre o João de Deus.

Perdoe, não irá mais ocorrer. E agradeceria se pudesse retirar o inicio de uma frase no fim de meu comentário logo após meu email.
Beijos e fica com Deus
jurandir_lima@bol.com.br

Fanzine Episódio Cultural disse...

Heróis sem quadrinhos

Em suas páginas agimos como meninos
Abrindo a grande cortina de recordações
Para viver cenas em preto e branco.

Das tiras de jornais
Mocinhos e bandidos
Tornaram-se heróis e vilões.
Como éramos felizes
E não sabíamos!
Como é triste hoje enxergamos
O vazio do amanhã!

Aí vem o Roy Rogers galopando,
Buck Jones e Tom Mix ali acenam
Final feliz ou incógnito?
A resposta ficou nas lágrimas
De uma donzela.

Nossos heróis se foram
Deixando-nos apenas saudade.
Levaram consigo a certeza
De que homens nos tornaríamos.

Crescemos num mundo concreto
Real, carnívoro, traiçoeiro,
Mísero de valores culturais
Abastado de líderes sem valores.

Os heróis de ontem não têm mais quadrinhos,
Nem espaço nas recordações,
Mas enquanto existir a criança de ontem
Continuarão aventurando-se em nossos corações.

*Agamenon Troyan, poeta mineiro é autor do livro (O ANJO E A TEMPESTADE)

Daniele Moura disse...

Olá, Faroeste!
Imagina! Foi um engano...acontece com todo mundo! Não se preocupe, ok?
Quanto à frase depois do email, infelizmente, querido Faroeste, eu não posso editar comentários. Quando eles vão pro ar eu não posso mexer.
Mas fica tranquilo, as pessoas entenderam que foi um engano.
Fica com Deus e não some, não, viu!

Fanzine! Que poema lindo sobre o cinema e nossos heróis! Você é autor dele? Adorei ter uma coisa tão delicada aqui no blog. Apareça mais vezes!!
Um abraço
Dani
Um abraço
Dani

Fanzine Episódio Cultural disse...

NO DIA EM QUE (VOCÊ) BRILHOU EM MEUS OLHOS


Despertei-me em meio a escuridão.
Sem rumo, a deriva em um mar de incertezas.
Tive vontade de gritar...
Senti que o vazio que me abraçava naquele instante
Era na verdade as garras afiadas da solidão.
Desejei desesperadamente pelo amanhecer.

****
Subitamente meus desejos se uniram à realidade fugitiva
E eis que maravilhosamente vi o seu semblante
Iluminar todo meu espírito.

***
Meu coração voltou a pulsar com paixão,
Meus lábios se umedeceram com o mel de sua boca,
O caos que havia dentro de mim
Se transformou na mais completa harmonia;
Descobri o verdadeiro significado da vida
No dia em que (VOCÊ) brilhou em meus olhos

*Agamenon Troyan

MSN: machadocultural (arroba) (hot) ponto com

SKYPE: tarokid18