Todos os textos contidos neste blog são de propriedade intelectual da autora. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.

sábado, 25 de agosto de 2012

Jean Harlow

Ótima comediante, é sempre um deleite ver e ouvir Jean Harlow. O rostinho de menina. O corpo de mulher. Na interpretação, várias facetas. A veia cômica irresistivelmente marcante.
Infelizmente foi vítima de um abuso que lhe custou a vida. Jean, toda machucada por seu então marido, Paul Bern, correu à casa de seu agente e foi socorrida pela esposa dele, Beatrice. Ele a machucou pois não conseguiu fazer amor com ela na noite de núpcias. Bern se matou com um tiro e se corpo foi encontrado na mansão do casal, junto com um bilhete para Jean. 5 anos depois do ocorrido, Harlow filmava outra parceria com Clark Gable, SARATOGA. Com o filme quase completo, teve um colapso no set. Internada, sua mãe , Mama Jean, adepta da Scientologia, não permitiu que a filha fosse medicada. Acontece que Harlow já estava doente desde aquela noite de núpcias. Segundo ela mesma, Bern era um pervertido sexual e além de ter dado com a bengala na jovem esposa até lhe deixar bolhas nas costas, ele também a mordeu, deixando vários hematomas pelo corpo da bela estrela. Isso levou Jean a chamá-lo de "Canibal" e "homenzinho nojento". Imaginem quantas coisas Jean poderia ter feito se não tivesse ido tão jovem, aos 26 anos? Teria terminado a década de 30 bem, com seu talento espalhado pelo mundo. Poderia ter entrado na década seguinte mais amadurecida, como atriz e mulher. Se apaixonara por William Powell, seu colega de cena no excelente LIBELED LADY(1936). Eles estavam noivos e o futuro parecia ótimo para ambos. A fatalidade os afastou.
Inesquecível sua cena, cheia de tule, deitada na cama em JANTAR ÀS 8(1933) toda dondoca e perua, comendo bombons de uma caixinha luxuosa. Experimentando um novo chapéu e chamando o médico para vê-la de uma maneira ...digamos...especial! E que dupla ela fazia com Wallace Beery, por quem ela tinha uma aversão terrível. Suas cenas com ele são os pontos altos do filme, somando às cenas da personagem de Billie Burke - a socialite falida.
Maravilhosa e eterna Jean Harlow.




Após sua morte, SARATOGA foi finalizado com uma dublê e lançado nos cinemas. Na década de 50, RED DUST(1932) teve refilmagem com o título de MOGAMBO, estrelando Gable no mesmo papel junto a Grace Kelly e Ava Gardner.

10 comentários:

As Tertulías disse...

Mas ela nao morreu de uremia pois a mae (follower da ciencia crista) se recusou a chamar médicos?

Daniele Rodrigues de Moura disse...

Sim, Ricardo,
mas este problema/doença ela adqueriu depois da surra que levou de Paul Bern. Ou seja , ela ficou anos e anos sofrendo com isso até o caso se tornar crônico. Quando ela teve o colapso no set de SARATOGA, a mãe se meteu e não deixou ela ser medicada. Um horror, verdadeiro horror.

Daniele Rodrigues de Moura disse...

Olá, Ricardo
Coloquei mais informações ao texto. leia-o novamente, por favor. Eu não havia explicado a história direito...rsrsr!

disse...

Adoro a Jean! Sua históia é trágica, mas ela nos deixou muitos motivos para sorrir. Sua vei cômica é de fato fantástica e Jantar às Oito não seria a mesma coisa sem ela.
Beijos!

Marcia Moreira disse...

Oi, Dani.

Mogambo não é refilmagem de Saratoga, mas de Terra de Paixão (1932).

Um beijo.

Daniele Rodrigues de Moura disse...

Oops...Eu ia corrigir isso, mas esqueci.
Valeu!

Jefferson C. Vendrame disse...

Grande Atriz, daquelas que não precisa de falas, apenas sua presença já vale o filme.
Dela só vi Inimigo Público Nº1 e Anjos do Inferno.

Grande abraço

disse...

Passo aqui para avisar que tem um selinho em meu blog esperando por você! Beijos!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Olá, parceira, depois de umas pequenas férias, O FALCÃO MALTÊS está de volta, disposto a continuar celebrando sua paixão pelo cinema clássico.
Gosto muito da Jean como comediante. Só não consigo vê-la como uma grande beleza...

Cumprimentos cinéfilos!

O Falcão Maltês

Daniele Rodrigues de Moura disse...

Olá, Jeff, Lê e Antonio!
Lê, não estou no Rio, mas assim que voltar vou pegar o selo e escolher os blogs!

Um abraço,
Dani