Todos os textos contidos neste blog são de propriedade intelectual da autora. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Vivien Leigh: a perfeita anfitriã

"A perfeita anfitriã é aquela que dá a oportunidade ao convidado falar e se sentir importante. E ela era assim" (Claire Bloom)
Os anos 40 foram preciosos para Vivien Leigh e o motivo era um só: Notley Abbey. O belo castelo do século 13, situado em Buckinghamshire foi comprado pelos Oliviers em 1943. No início, a atriz inglesa não aprovou a residência, comparando-o a Tara de "...E O Vento Levou" e era Olivier o mais apaixonado pelo local, que havia pertencido a Henrique V.
Em 1945, durante a apresentação da peça "The Skin Of Our Teeth", de Tornton Wilder, Vivien contraiu Tuberculose. Como se recusava a parar de trabalhar, também se recusou a ver um médico, até que as tosses pioraram e veio o sangramento. Decidiu-se que haveria de ser internada. Para o tratamento da Tuberculose é necessário permanecer na cama por 3 meses ininterruptos e isso para Vivien era inaceitável. E depois, para completar os 9 meses de tratamento, nada de álcool e cigarros. A presença de muitas pessoas no seu quarto também tinha sido proibida. O tédio de Vivien por Notley Abbey acabou exatamente nessa época. Estranhamente, ao invés de repudiar ainda mais a casa por sua doença, por não poder sair de um cômodo e outros problemas chatos que trazem a TB, ela passou a amar viver ali. Mas é claro que este novo amor teve um preço: como conseguiria ficar trancada em um só quarto, se Notley possuía mais de 20? Impossível. Então, a bela atriz passou parte de seu tratamento plantando árvores e redecorando a propriedade. Os quartos escuros passaram a ser mais claros, já que a luz londrina era uma outra paixão de Vivien.
Ao longo dos anos em que viveu em Notley Abbey, era seu hábito receber os amigos, os de longa data, como o ex-marido Leigh Holman ou os colegas de suas últimas peças ou filmes. Ela própria preparava as mesas dos jantares. Cuidava de tudo detalhadamente, para que nada faltasse aos convidados. Todos os que jantavam na casa dos Oliviers diziam que com Vivien a recepção era um espetáculo à parte. Sua delicadeza e feminilidade exalava a cada talher, louça ou assento. Durante os jantares ela mantinha ao seu lado um pequeno caderno, onde anotava as imperfeições que observava, para que assim, da próxima vez não houvesse mais nenhum erro.
E ainda quando terminavam todos de comer, quando as sobremesas já tinham sido servidas e a última xícara de chá era retirada ela visitava cada quarto(que ela havia preparado) para conferir o que estava faltando para seus hóspedes. Olhava tudo, de ponta a ponta. No dia seguinte, gostava de saber o que eles acharam e se tinham passado bem à noite.


6 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Adeus, ano novo!

Cinema Clássico disse...

Adeus, ano velho!
FELIZ ANO NOVO!!!

Tertúlias... disse...

Voce assistou o documentário da TNT narrado por Jessica Lange, hein? ;-)

Tertúlias... disse...

Nao sei se voce sabe... ela nao passou parte do tratamento plantando árvores mas sim "Dafodils" (Narcisos, flores amadíssimas na Inglaterra).
Gostei do teu Blog! Bem simpático... Há muito tempo que eu no escrevo sobre "meu" cinema... voce me inspirou... Veja meus arquivos de quase tres anos - voce encontrará matérias que vao te ineressr... Ah, coloquei o teu link no meu Blog como "Blog acompanhado". Bom Ano-Novo!

Cinema Clássico disse...

Olá, Tertúlias!
Obrigada pelos elogios!
Esse doc narrado pela Jessica Lange vem na edição especial de "...E O Vento Levou". Se chama "Scarlett and Beyond", não é?. Na verdade a minha lembrança dela ter plantado flores vem das bios que eu tenho dela aqui em casa, mas esqueci de colocar. Obrigada pela lembrança. Além dos Narcisos, Vivien era apaixonada por rosas. Ela tinha um roseiral em Notley Abbey!
Um feliz ano novo! Uma dica: inicie este 2011 escrevendo. Volte a escrever. Eu também tinha largado, mas me reaproximei da escrita.
Dani

Tertúlias... disse...

Obrigado querida! Sim, já fiz duas postagens este ano... como sempre meus temas: música, cinema... mas voltarei com muito ballet, teatro, comics, cartoons, pintura... arte! ah sim, e "a arte de viver" (que vai de cozinharm filosofar até wellness). Bjs