Todos os textos contidos neste blog são de propriedade intelectual da autora. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.

domingo, 13 de janeiro de 2013

THE EASIEST WAY(1931)

História de Cinderella ou da mulher que quer tudo fácil?
A personagem de Constance Bennett em THE EASIEST WAY(TENTAÇÃO DE LUXO) deixa certas dúvidas, já que a moça não é ruim. É uma menina de boa índole, que trabalha como vendedora numa loja de departamentos. Namora um rapaz vizinho de sua família, trabalhador, porém, pobre. Jovem loirinha bonita, logo cai nas graças de um "descobridor de talentos" que a quer modelando numa agência de publicidade. Laura Murdock(Bennett) aceita a aventura e pede demissão da loja. Logo começa a ganhar muito mais dinheiro e a fazer horas extras no novo emprego. Sua irmã Peg(Anita Page) é a típica jovem norte-americana de classe média baixa que sonha com o casamento. Seu noivo é Nick(Clark Gable em um pequeno papel), rapaz rude, com uma carreira não tão promissora pela frente.
As coisas começam a ficar nebulosas para Laura quando ela é escolhida pelo seu chefe, o rico publicitário William Brockton(Adolphe Menjou) como a melhor modelo. Os dois passam a jantar juntos e ela ganha presentes luxuosos dele, preocupando sua mãe. Como em toda família se encontra um boa vida, seu pai nem liga para o perigo que sua filha corre pois pedir dinheiro para ele é a solução encontrada para não voltar ao trabalho braçal. O namoradinho que já era desprezado por Laura agora é totalmente descartado, já que agora a moça vê um jeito de não passar mais sofrimento, porém...sua mãe não aceita e ela passa a viajar com Brockton como sua amante. Sua tortura é facilmente reconhecida pelo público através de sua expressão facial, sempre atormentada, como se soubesse que não estava a agir certo.
Dias de angústia e incerteza chegam mais perto quando ela conhece Jack Madison(Robert Montgomery), um jornalista de classe média e os dois se apaixonam. Laura o encontra pela primeira vez na fazenda para onde o amante a leva a fim de passar uns dias. Apesar de não ter nada a ver com a família, ela aceita, já que o dono é alvo de boas negociações de William. Então, o espectador revê aquela linda história do amor impossível, onde a mulher é a principal vítima e o sofrimento se instala quando sua grande paixão é confrontada pela vontade de ter uma vida financeira tranquila. Quem vencerá, então: o romance verdadeiro ou a vida confortável, sem amor? Laura é uma mulher boa e Jack sabe disso: ela é, através da bela aura imposta por Constance Bennett, a delicada menina que não teve a intenção de errar. O exemplo perfeito da femilidade e da bondade, que ganha o carinho até do amante endinheirado.


Em tempos sem Código Hayes, a mensagem do filme soa até estranha, quando se põe a mostrar qual o certo entre as vidas das duas irmãs. Enquanto Laura sofre as consequências de viver como amante de um homem rico, que não a assume, Peg constrói uma família aparentemente sadia com o marido Nick. Isso leva ao espectador crer que existe uma mensagem a ser passada neste filme p a de que a vida de Peg, a irmã pobre e dona de casa é a melhor escolha. Os fãs de Anita Page também irão estranhar este detalhe do filme: acostumada a viver garotas modernas urbanas, que vencem na vida de uma maneira torta, aqui encontramos Mrs.Page como uma mãe de família, que não enxerga nada além de seu futuro simples. Este papel é relativamente pequeno para ela, que já tinha estrelado ao lado de Joan Crawford em "OUR DANCING DAUGHTERS"(1928) e feito enorme sucesso como a artista de BROADWAY MELODY(1929). Mas ao contrário do esperado, é formidável ver esta atriz em ação como a moça da porta ao lado e sua atuação não deixa a desejar em momento algum. Anita é sempre crível e competente.

Dirigido por Jack Conway numa produção de Hunt Stromberg, também traz Clark Gable em pequenas participações, porém marcantes são suas cenas em que trata a personagem de Bennett com grosseria, mostrando a reprovação daquele homem em relação à "irmã errada" de sua esposa. É uma ótima opção para quem gosta de um bom drama e do trabalho destes atores

3 comentários:

disse...

Estou em dívida com os "pre-codes", pois nem sempre é fácil ter acesso a eles (ou esperar os lentos downloads). Em todo caso, as estrelas desses filmes são fabulosas, como a própria Constance e Robert Montgomery. Até Barbara Stanwyck fez excelentes "pre-codes".
Beijos!

Daniele Rodrigues de Moura disse...

Olá, Lê!!
Tenho uma boa notícia pra vc: este filme é um download comum(nda de torrents) da página Desvendando Estrelas. É só vc clicar nos filmes do Clark Gable que vai estar esperando por vc, ok?
Eis o link:
http://desvendandoestrelas.blogspot.com.br/p/clark-gable.html

Daniele Rodrigues de Moura disse...

E parece que seus conselhos funcionaram: voltei a escrever!!
Bjinhos!!